ENSAIOS PRÉ-SELECIONADOS PEF/2016

Coral Solari. Xoxota. Sem título 1

press to zoom

Coral Solari. Xoxota. Sem título 2

press to zoom

Coral Solari. Xoxota. Sem título 3

press to zoom

Coral Solari. Xoxota. Sem título 4

press to zoom

Coral Solari. Xoxota. Sem título 5

press to zoom

Coral Solari. Xoxota. Sem título 6

press to zoom

Coral Solari. Xoxota. Sem título 7

press to zoom

Coral Solari. Xoxota. Sem título 8

press to zoom

CORAL SOLARI

A mulher máquina, mecânica, uma fábrica, com todas as suas engrenagens por dentro, com uma chave que a ativa.   Uma máquina que é usada, ela não tem vontade própia, é o seu dono quem tem a chave e podeusa-la como e quando quiser, ou acha que é assim.  Uma mulher que tem uma fechadura e uma porta que se abre, porta que é sagrada e por onde tudo sai e tudo entra, a humanidade, o pecado, o amor, os medos, as vergonhas. Uma máquina que produz tudo isso. Uma fechadura que nos faz donas de nós mesmas, a porta/fechadura é minha eu abro para quem eu quiser e a chave escolho eu.   Um buraco, onde nada se vê lá dentro, onde é escuro e esconde muitos mistérios, onde há um universo pra dentro, e quem está de fora pode só espiar, supor.   A fechadura ao mesmo tempo que ela representa a opressão, uma vez que nada me oprime passa a ser algo libertador, é uma fechadura imaginada, imposta.